O relacionamento com fornecedores, tradicionalmente baseado na gestão de contratos e transações, tem sido repensado pelas organizações diante dos novos desafios da TI. Segundo pesquisa sobre parceiros estratégicos produzida pelo CIO Executive Council e pela IDC (International Data Corporation), compradores de TI e fornecedores precisam construir relacionamentos de confiança e colaboração.

Para entender os motivadores desta abordagem, podemos citar a relevância do outsourcing para a TI. Este representa aproximadamente 27% de todo orçamento da área, segundo pesquisa “IT Key Metrics Data 2018” do Gartner, sem mencionar o tempo e a atenção despendidos pela organização para a gestão de um volume crescente de fornecedores.

Novos requisitos regulatórios e preocupações com risco e compliance aumentam os esforços despendidos com a entrada e saída de fornecedores. Além disso, o contexto de mudanças aceleradas e tecnologias emergentes colocam o aprendizado da organização cliente como um atributo chave buscado no relacionamento com fornecedores, o que só é possível com uma relação próxima de troca mútua.

Manter e fortalecer relações estratégicas com os fornecedores será de extrema importância para lidar com o mercado em rápida evolução, como discutido no webinar  Gestão de Fornecedores voltada para os desafios da TI. A relevância desta abordagem se confirma na pesquisa do Gartner, “Strategic Roadmap for Vendor Management”, na qual é previsto que, em 2019, 50% dos gastos com serviços e soluções externas de empresas globais serão realizados por menos de dez fornecedores estratégicos no ecossistema da organização.

Apesar das perspectivas positivas, o cenário atual apresenta baixa maturidade por parte das organizações para estruturar o relacionamento fornecedor-cliente de forma a extrair o valor esperado. Segundo a Forbes, em “Why do supplier collaborations go wrong?”, 47% de todas as relações de colaboração com fornecedores fracassam.

Para prevenir o insucesso no relacionamento com fornecedores, uma das alternativas está em transformar a ideia intangível de “parceria estratégica” em objetivos e ações claras para todas as partes interessadas. Dessa forma, listamos abaixo cinco ações que podem apoiar a sua organização nesta trajetória:

A correta implementação das ações citadas auxiliará sua TI a extrair valor de um relacionamento verdadeiramente estratégico com fornecedores. Essa abordagem baseada nos princípios de confiança e colaboração, mais do que reduzir riscos e otimizar esforços de gestão, será fundamental para manter a TI como vetor de transformação e inovação da companhia.

Para saber como a Bridge pode ajudar na gestão estratégica de fornecedores, entre em contato conosco pelo  contato@bridgeconsulting.com.br e continue acompanhando nosso conteúdo sobre terceirização e gestão de fornecedores.

Gabriela Susin é graduada em Engenharia de Produção pela UFRGS, com dupla diplomação pela Ecole Centrale de Lille.  Atua em projetos de Estratégia de Outsourcing e Gestão de Fornecedores pela Bridge Consulting.