Em segmentos de mercado agressivos, não ser rápido o suficiente pode custar caro. Um dos desafios de líderes corporativos neste contexto está relacionado à capacidade de prover respostas na mesma velocidade com que surgem novos questionamentos. Com o intuito de encurtar a distância entre as perguntas e respostas do negócio, as ferramentas de self-service Business Intelligence (BI) apresentam-se como uma solução rápida e ágil para apoio à tomada de decisão.

Evidenciando a importância destas soluções, a pesquisa “Global Self-Service BI Market Report 2019”, conduzida pela Pioneer Reports, aponta um crescimento do mercado destas ferramentas em 2022 ao patamar de US$8 bilhões, o dobro de tamanho em relação a 2017. Diante de um mercado aquecido, o que levar em consideração na escolha da ferramenta a ser implantada?

O relatório anual “Magic Quadrant for Analytics and Business Intelligence Platforms”, publicado pelo Gartner, avalia as principais plataformas de BI e Analytics no mundo. Nesta pesquisa, as soluções são comparadas em função de sua capacidade de entrega, amplitude e praticidade de soluções de dados, como pode ser visto na Figura 1.

Quadrante Mágico das Plataformas de BI e Analytics 2019

Figura 1 – Quadrante Mágico das Plataformas de BI e Analytics 2019 (fonte: Gartner)

Em 2019, a Microsoft e a Tableau mantiveram suas posições de liderança em relação às empresas concorrentes. Mas qual delas atenderia às necessidades do seu negócio? A fim de colaborar com esta reflexão, destacamos abaixo as principais características destas duas ferramentas. É importante salientar que existem outras opções no mercado, mas para fins desta publicação, analisaremos as duas líderes da pesquisa apresentada.

Tableau software: como funciona?

A visualização e a exploração interativa, aliadas aos seus recursos de conexão que funcionam para uma vasta variedade de fontes de dados são os pontos fortes desta ferramenta. Essa combinação inclui funções de drag-and-drop (que trazem dinamismo para a criação de visões), armazenamento em cluster (capaz de agrupar objetos por similaridade) e edição assistida de fórmulas (permitindo a manipulação de dados brutos com facilidade). Mas atenção, pois o aproveitamento de tais recursos depende do nível de especialização do usuário: enquanto os especialistas em análise de dados podem se empolgar com sua quantidade e variedade, os usuários com pouca experiência poderão demonstrar resistência até conseguirem gerar bons resultados.

Além disso, muitas funcionalidades oferecidas vêm sendo adaptadas de maneira similar em releases de seus concorrentes. Consequentemente, quanto menor a diferenciação em relação às outras ferramentas, mais o fator financeiro sobressai na decisão de aquisição. Nesse sentido, o custo de implementação do Tableau é maior do que seus principais concorrentes.

Microsoft Power BI: funcionalidades e benefícios

Seu produto principal é o Power BI, que oferece recursos de preparação e exploração de dados e criação de painéis interativos. Pode ser utilizado tanto como Software as a Service (SaaS) dentro de sua nuvem (Azure), quanto na opção local do Power BI Report Server. De forma complementar, o Power BI Desktop é uma ferramenta de análise individual, autônoma e gratuita, utilizada para a construção de relatórios e painéis. Em relação aos custos, uma licença de Power BI Pro tem um baixo custo de aquisição e manutenção por usuário, sendo uma das soluções de menor investimento para licenciamento no mercado. Além do benefício financeiro, o Power BI também é vendido por meio de contratos de softwares corporativos. Assim, uma organização cliente da Microsoft pode encontrar menores barreiras de entrada para aderir à ferramenta.

Embora o Power BI seja um produto independente, ele utiliza outras soluções da Microsoft para atingir sua capacidade plena de entrega de valor. Este fato tem algum impacto para o usuário: como possui uma interface padrão Microsoft Office, permite a um novo usuário criar visões do zero sem muita dificuldade, porém, para recursos mais avançados, é necessário absorver conhecimento sobre outras soluções, como o PowerApps e o Microsoft Flow, por exemplo.

Nossa experiência com as ferramentas de Business Intelligence

Um de nossos parceiros do segmento de varejo decidiu alavancar o uso de ferramentas de self-service BI adquirindo algumas licenças do Tableau. Por se tratar de uma empresa com uma arquitetura de dados bem estruturada, a implementação da solução possibilitou a redução em mais da metade do tempo de desenvolvimento de análises mais complexas. Além disso, rearranjos em dashboards e adições de visões eram disponibilizados quase que instantaneamente mediante solicitação. À medida que a demanda por novas visões aumentava, alguns times que absorveram mais expertise com o uso do Tableau avançaram, criando simuladores, análises estatísticas robustas e produtos de dados sofisticados. Por outro lado, para a maioria das outras equipes, o gap técnico dos recursos humanos transformou-se em um gargalo para a criação de valor continuado.

Conclusão

Baseada nessa e em outras experiências da Bridge, considerar o binômio “capacidade humana X capacidade financeira” é um ponto de partida coerente para conduzir um processo de escolha entre uma das ferramentas líderes em self-service BI.

Binômio capacidade humana X capacidade financeira

Figura 2 – Binômio capacidade humana x capacidade financeira (fonte: elaborado pelo autor)

Sintetizando nossa visão, o esquema acima mostra que o Tableau é uma ferramenta mais potente para entregar produtos de dados de maneira ágil, contanto que coexistam na organização um grupo de profissionais altamente especializados em análise de dados com um orçamento que sustente o investimento inicial e de manutenção da ferramenta. É o caso de empresas dispostas a investir alto em tecnologias de Bussiness Intelligence e Analytics e propensas à especialização de seus colaboradores ou contratação/ terceirização de profissionais preparados no mercado. Para os outros cenários, o Power BI se apresenta como uma solução mais adaptável, possuindo menores barreiras de entrada técnica e financeiras.

Independentemente da escolha, recomendamos também avaliar o grau de maturidade para a prática de Analytics. Desta forma, pode-se garantir que a tecnologia de dados servirá à estratégia no longo prazo, considerando processos, pessoas e tecnologia.

Quer saber mais sobre ferramentas de BI? Está com dúvida sobre como escolher? Entre em contato conosco através do contato@bridgeconsulting.com.br.

João Holanda é Engenheiro de Produção formado pela Universidade Federal Fluminense – UFF. Tem atuação como líder técnico para assuntos de Business Intelligence e Analytics e possui experiência em gestão de produtos de dados e sistemas corporativos.