A pandemia trouxe consigo um cenário de incerteza para toda a sociedade. As organizações se depararam com desafios e situações nunca vivenciados e tiveram que se adaptar rapidamente aos novos protocolos mundiais de saúde pública. Mais do que nunca, funcionários se preocuparam em manter suas posições de trabalho e líderes e empresários tiveram que encarar apreensões relacionadas à sobrevivência de seus negócios, manutenção dos empregos e à saúde e bem-estar dos seus colaboradores num momento tão delicado.

Segundo artigo da Pulses (Gestão de pessoas em tempos de coronavírus), adotar um mindset People First é de suma importância para fortalecer a relação de confiança em momentos de crise. Assim como em qualquer iniciativa, o patrocínio das lideranças é fundamental para que se possa obter confiança, credibilidade e engajamento.

No contexto atual, portanto, manter o bem-estar dos funcionários, bem como o engajamento e a motivação para atingir os resultados, têm sido desafios comuns a todas as organizações. Para tanto, é preciso criar e preservar um ambiente de segurança psicológica, de modo a gerar um clima positivo e colaborativo, em que todos se sintam confortáveis para se expressar. As organizações que permitem que seus funcionários arrisquem e expressem suas opiniões estão mais propensas à inovação e geração de novas soluções e oportunidades de negócio. Estudos apontam que o fortalecimento da segurança psicológica dos colaboradores pode gerar benefícios, como:

fortalecimento da segurança psicológic

Bridge & Co. (2021)

De acordo com um estudo global da McKinsey realizado durante a pandemia do novo coronavírus (Psychological safety and the critical role of leadership development, 2021), poucos líderes apresentam características e comportamentos capazes de criar esse ambiente de segurança psicológica, embora o estabelecimento do mesmo dependa diretamente da atuação desses líderes e demande empatia e comunicação.

Os profissionais capazes de cumprir com esse papel conseguem apoiar e estimular outros líderes a fazerem o mesmo até que o clima positivo seja estendido para toda a empresa, contribuindo assim para o estabelecimento do ambiente mencionado. Os líderes devem compreender que se trata de um momento novo, complexo e de proporções excepcionais e reconhecer que, para muitas perguntas, podem ainda não haver respostas prontas.

Diante deste contexto desafiador, compartilhamos a seguir como temos pautado a atuação dos nossos líderes e algumas iniciativas adotadas para superar os desafios impostos desde a chegada da pandemia.

Na Bridge & Co.:

Nossa liderança, em conjunto com a área de People, adotou uma série de medidas visando preservar o bem-estar dos funcionários e a criação de um ambiente realista, porém positivo. As iniciativas estão pautadas em três pilares:

Imagem-2---3-pilares-pandemia-Bridge-&-Co

Bridge & Co. (2021)

Com base no princípio da transparência e com o objetivo de estabelecer um canal direto com os colaboradores, os sócios divulgam vídeos periódicos para atualizar toda a empresa sobre a situação geral da organização frente ao atual momento e quais medidas serão tomadas durante determinado período. A seguir, destacamos algumas das iniciativas implantadas:

modelo home office bridge & Co
  • A determinação imediata do trabalho em modelo home office para todos os colaboradores.
  • Envio de equipamentos (cadeiras, desktops, mouses, entre outros) para os colaboradores que não tinham infraestrutura em suas casas para continuidade do trabalho no modelo aplicado.
  • Utilização da ferramenta de medição do clima organizacional com pesquisa semanal dedicada ao “novo normal”.
  • Palestras e debates com psicólogos a respeito das dificuldades enfrentadas durante a pandemia.
  • Liberação de um novo benefício: acesso gratuito a uma plataforma com foco em saúde emocional que conecta os colaboradores com profissionais de saúde (terapeutas e psicólogos).
  • Apresentação da saúde financeira da empresa nas reuniões mensais.
  • Manutenção de todos os postos de trabalho mesmo diante da retração imediata da demanda com o início da pandemia.
  • Manutenção de todas as ações de incentivo à qualidade de vida dos colaboradores.
A partir das iniciativas listadas, foi possível observar o aumento do e-NPS (indicador que mede o nível de satisfação e lealdade dos funcionários. No inglês: Employee Net Promoter Score), que no início da pandemia totalizava 28 e atualmente está em 44 com picos de 50. Além disso, a plena utilização da plataforma para sessões com terapeutas e psicólogos e os diversos feedbacks dados pelos colaboradores reforçam que as iniciativas têm gerado valor.

Por fim, entendemos que ações genuinamente pensadas para pessoas são catalisadoras da manutenção da cultura organizacional, sendo diferenciais para conceder a segurança psicológica tão necessária neste momento que temos enfrentado.

Caso queira saber mais sobre as vagas abertas na Bridge & Co., acesse a plataforma na Gupy e venha fazer parte do nosso time!

Vitor-Suzarte

Vitor Suzarte é líder de projetos da Bridge & Co. Possui formação em Engenharia de Produção pelo CEFET e MBA em Gerenciamento de Projetos pelo IBMEC. É certificado em Agile Scrum Foundation e COBIT 2019. Atualmente, gerencia equipes com foco em gestão de projetos e governança de TI, planejamento estratégico de TI, melhoria em processos e business intelligence em clientes do setor privado.

Autor---Padrão-leticia-vieira

Letícia Vieira é consultora da Bridge & Co. Possui formação em Engenharia de Produção pela PUC-RIO e MBA em Finanças pelo IBMEC. Com experiência em frentes de governança de TI, gestão de projetos, melhoria de processos e gestão de serviços de TI, atua na gestão de projetos de migração de sistemas.