As mulheres estão cada vez mais presentes em cargos de liderança de todos os setores.

No mês das mulheres gostaríamos de, mais do que homenagear, compartilhar histórias inspiradoras de sucesso, empatia e superação. Assim, reunimos perguntas que o nosso time feminino gostaria de fazer para convidadas muito especiais que ocupam posições executivas no mercado, são elas:

Renata Marques, CIO na Natura &co – Passou por empresas como Monsanto, ABB e Whirlpool. Graduada em Processamento de Dados pelo Mackenzie, Pós graduada em Administracao de Empresas pela FAAP e MBA na Universidade de Pittsburgh- KAtz. Casada com Paulo, mãe da Julia e da Luiza, amante de fotografia e viagens e adora construir pontes entre pessoas.

Tatiana Medina, CIO da Klabin – Graduada em Administração de Empresas pela PUC SP, Pós Graduada em Sistemas Integrados e MBA em Gestão de Projetos pela FGV. Executiva de Tecnologia da Informação na Klabin, produtora e exportadora brasileira de celulose e papéis para embalagens. Há mais de 20 anos em TI e transformação de negócio através do uso de novas tecnologias, atuou em diversos setores, em empresas como Telefônica, Citibank, Accenture, Duratex, Louis Dreyfus Commodities, sendo os últimos 12 anos dedicados a empresas de manufatura. Especialista em inovação em grandes corporações com certificação pela Innovation Leadership Group of Stanford University. Conselheira do CIONET Brazil. Corinthiana,fanática, mãe de 2 Marias e apaixonada por tecnologia.

Veja o que estas líderes têm a nos dizer sobre crescimento na carreira, igualdade de gênero, maternidade, inspiração e motivação.

Hoje, o número de mulheres em cargos de liderança empresarial vem crescendo, mas sabemos que temos muito espaço ainda para conquistar.

E, quando se trata do setor de tecnologia, a representatividade de mulheres na área ainda é mais baixa. Segundo dados do “CAGED” (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), a participação feminina cresceu 60% nos últimos 5 anos mas, ainda assim, elas representam apenas 20% dos profissionais do setor. (Fonte: Portal Canal Tech)

Sendo assim, imagino que para estar hoje onde está, não deve ter sido fácil. Quais foram os principais desafios que você enfrentou para conseguir chegar à posição de liderança em uma área ainda composta predominantemente por profissionais do gênero masculino? Qual seu conselho para mulheres que almejam ocupar essa função no futuro?

Aspas

O maior desafio que enfrentei foi conquistar credibilidade como profissional de TI numa área onde o normal é ter um homem que conhece do assunto de TI e não uma mulher. Eu sempre estive preparada para responder as perguntas que eram feitas para mim. Eu gosto de estudar, sou curiosa, então quando eu tinha um problema para solucionar, eu buscava conhecimento sobre o assunto e apresentava duas ou três soluções factíveis, com bastante argumentos, fatos e dados também.

Por outro lado, eu nunca me preocupei por ser mulher numa área de TI, por muitas vezes eu fui a única mulher na sala de reunião com muitos homens e eu não pensava: “Caramba, eu sou a única mulher nesta sala!”. Isso sempre foi normal para mim.

Eu aconselho vocês fazerem o que realmente gostam e traz felicidade e que vocês ousem em entregar resultados muito acima do que os esperados e quando entregar, conte para todo mundo: chefe, chefe do chefe, colegas, estagiários, amigos, parentes, valorize muito as suas entregas bem sucedidas. E se em algum momento vocês falharem, pense: “Ok, falhei, tá tudo bem” e esteja pronta para o próximo desafio. Sem mimimi e sem chororô.

Tatiana Medina, CIO da Klabin

Que sugestões você poderia dar para outras mulheres seguirem planos de carreira estruturados e se colocarem nos ambientes mais adequados em busca de uma posição de liderança?

Aspas

Minha primeira sugestão é olhar pra dentro e descobrir o que de fato a motiva e onde quer chegar. Depois disso, a sugestão é de compartilhar seu sonho/ambição com outras pessoas que possam te mentorar, auxiliar no desenvolvimento etc, A terceira sugestão é de ser Ousada, não tenha medo de arriscar, não tente ser perfeita em tudo e gabaritar antes de arriscar seu próximo passo. Lembre-se que nunca estamos prontas para sermos mães até que nos tornemos mães.

Renata Marques, CIO na Natura & co

Quando você lidera outras mulheres, o que busca fazer de diferente para incentivá-las a permanecer evoluindo em suas carreiras?

Aspas

Costumo contar minha história para gerar empatia e motivá-las a continuar enfrentando os desafios. Normalmente a mulher fica muito em dúvida quando tem filhos e comento o quanto é importante deixar de ser super-heroína e também pedir ajuda quando precisamos, seja para o marido, para irmãs, mãe ou funcionária do lar…No final os filhos agradecem a mãe por ser uma fonte de inspiração.

Renata Marques, CIO na Natura & co

Profissional, mulher, esposa, mãe: como fazer para não deixar nenhuma peteca cair?

Aspas

Com o tempo eu deixei de querer ser a “Super Mulher”, excelente em tudo o tempo todo. Eu escolho conscientemente o que eu deixarei de fazer. Estes tipos de escolhas são difíceis, mas para mim funciona bem porque eu reduzo as frustrações, simplesmente, escolho e não faço. Assim, eu priorizo os momentos e ponho foco. Se estou com minhas filhas, naquele momento serei “a melhor mãe do mundo”, se estou trabalhando serei “a melhor profissional”. Divido o meu dia, limito o meu tempo para poder assumir cada um dos papéis necessários.

Tatiana Medina, CIO da Klabin

Agradecemos a todas as mulheres, em especial ao nosso time que enviou as perguntas e nossas convidadas que, prontamente, aceitaram a dividir um pouco de sua essência conosco.

Parabéns a todas vocês que tornam nossos dias mais incríveis!